21/07/2012

Ainda o “caso” RELVAS…

O CRIME DE RELVAS
POR: JOSÉ ANTÓNIO SARAIVA
«Escrevo semanalmente sobre política há mais de 30 anos , mas mesmo assim ainda consigo surpreender-me.Nas últimas semanas, tenho ficado embasbacado ao ver pessoas adultas e supostamente inteligentes passarem noites inteiras nas televisões a discutir o "caso Relvas ".Mas haverá assim tanto para discutir sobre este caso?A his...tória conta-se em seis linhas : Miguel Relvas apresentou o currículo na Universidade Lusófona, esse currículo foi considerado equivalente a 32 cadeiras. Relvas fez as quatro cadeiras restantes e obteve o canudo.Não há mais nada para noticiar.Pode argumentar-se que houve uma situação de favor-e se calhar é verdade.Provavelmente não deveria ter tantos "créditos"Mas essa situação diz respeito à universidade e não ao próprioOnde é que neste processo Relvas poderia ter cometido um "crime" ?Em duas situações : ou falsificando o currículo ou corrompendo alguém para lhe dar mais créditos do que aqueles a que tinha direito.Ora, aparentemente nenhuma destas hipóteses ocorreu.O currículo, que se saiba está correcto: e não há nenhum indicio de corrupção.O que se discute,então ?Deveria Relvas ter recusado os créditos que lhe foram atribuídos ?Mas alguém já fez isso em Portugal (ou noutro país do mundo ? )O "caso Relvas", neste momento, já não tem que ver com o seu curso mas sim com a luta política.Em torno de Relvas trava-se um braço-de-ferro entre a comunicação social e o Governo, para ver quem é mais teimoso.Ocupam-se horas e horas na TV e na rádio com este assunto, e enchem-se páginas de jornais, apenas para manter o tema na agenda-pois já não há mais nada para dizer.Mas, por isso mesmo, Miguel Relvas não poderá demitir-se nem ser demitido.Isso seria um tremendo erro político .Diz-se que a sua presença no Governo está a contribuir para o desgastar.Ora o Governo desgastar-se-ia muito mais se relvas saísse.Porque seria uma cedência.Uma prova de fraqueza.Um sinal de incapacidade para resistir à pressão.Voltemos um pouco atrás no tempo: qual era um dos grandes trunfos de Sócrates, reconhecido mesmo pelos seus adversários ?Era essa capacidade de resistir- a que começaram a chamar "resilência".Sócrates resistiu ao caso da licenciatura (que era bem mais complicado do que o de Relvas, pois continha irregularidades), resistiu ao caso dos mamarrachos,resistiu ao caso do aterro da Cova da Beira, resistiu ao caso Freport, resistiu ao caso Face Oculta-chegando ás eleições e obtendo , ainda ,um resultado razoável.Ora porque carga de água deveria Relvas demitir-se à "primeira" ?Como se entende que as pessoas que defenderam Sócrates com unhas e dentes até ao fim venham agora dizer que Relvas devia demitir-se ?Demitir-se porquê ?Por ser mais gordo ?Por ser mais baixo ?Por ser do PSD e não do PS?Um Governo não deve demitir-se debaixo do fogo da comunicação social-esta é uma regra de ouro.Num momento em que se trava um braço- de-ferro com os média, não pode ser o Governo a ceder.Nem há objectivamente razões para isso.Se Miguel Relvas obteve o diploma por "favor" , então reúna-se uma "comissão de sábios" para analisar o seu processo e outros idênticos- e retire-se o canudo a quem não o deva ter.Mas poupem-nos a esta novela mexicana que "já não tem mais lenha por onde arder".PS-O único interesse do "caso Relvas "foi revelar aquilo que o "caso Sócrates" tinha mostrado mas que muita gente teimava em ignorar: a falta de exigência que se verifica em algumas universidades, distribuindo-se canudos com demasiada facilidade. Espera-se,assim,que o ministro Nuno Crato leve por diante aquilo que prometeu,isto é analise este problema com o máximo rigor e mude o que estiver mal.»

1 comentário:

Paulo Vasco Pereira disse...

As suas palavras parecem minhas :)
Partilho totalmente da sua opinião. Acrescento apenas que tanto protagonismo dado pelos media talvez seja devido ao receio da privatização de um canal de tv... Será? Claro que sabemos a resposta!
Abraço.