27/12/2008

Seia. O melhor e o pior em 2008

Mais um ano passou e à imagem de anos anteriores cá estou para comentar a titulo jornalístico o que por cá aconteceu de maior e de menor relevância ao longo de 2008. Desde logo começo pelos aspectos positivos lembrando a chegada do gás natural a Seia. Uma medida em prol do ambiente. O Gás Natural resulta da decomposição de sedimentos orgânicos de origem vegetal e animal, acumulados ao longo de milhares de anos em jazidas naturais subterrâneas. É destas bolsas que o Gás Natural é extraído e transportado até ao utilizador final, sendo consumido sem passar por qualquer processo de transformação. O Gás Natural é o combustível fóssil de queima mais limpa e da sua combustão resultam menores quantidades de óxidos de enxofre e de azoto (responsáveis pelas chuvas ácidas), bem como de dióxido de carbono, que está na origem do efeito de estufa. Em Fevereiro decorreu a 31.ª edição da já tradicional Feira do Queijo. O certame decorreu durante a manhã do dia 2 de Fevereiro nas imediações do Mercado Municipal. Este ano os produtores e artesãos locais puderam mostrar ao Sr. Secretário de Estado da Solidariedade Social o que vão produzindo e o que vão cada vez mais exportando. A realização do Programa Conforto Habitacional para Pessoas Idosas (PCHI) foi outra mais-valia para o Concelho de Seia, tendo sido beneficiadas mais de três dezenas de habitações em estado de degradação mas que os seus proprietários por serem pessoas extremamente carenciadas não tinham posses para as recuperar. Mais de 30 famílias carenciadas vivem hoje em melhores condições graças a este programa do Município em parceria com a Segurança Social. Outro marco significativo do ano 2008 ocorreu no dia 25 de Abril, numa cerimónia de homenagem que foi prestada aos 43 militares do Concelho de Seia que morreram durante a guerra colonial em África (1961/1974). A inauguração do monumento de homenagem foi presidida pelo Secretário de Estado da Defesa Nacional e dos Assuntos do Mar, João Mira Gomes, acompanhado no acto por Eduardo Brito, Presidente da Câmara Municipal de Seia, e pelo Tenente-General Mimoso e Carvalho, em representação do Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas. A instalação do Contact Center da EDP em Seia. A EDP investiu cerca de dois milhões de euros na criação deste serviço, que funciona desde Janeiro de 2008 e pretende criar 250 novos postos de trabalho em Seia. A nova estrutura funciona nas instalações da subestação da EDP de Seia, localizada em Quintela. Segundo dados da EDP, estima-se que o novo Contact Center possa atender uma média de quatro milhões de clientes por ano. Outra das grandes novidades do ano 2008 foi a inauguração oficial do Centro de Interpretação da Serra da Estrela, o CISE, cerimónia presidida pelo Secretário de Estado do Ambiente, Humberto Delgado Ubach Chaves Rosa, que se deslocou a Seia no dia 25 de Outubro. Situado na quinta do Carvalhal, o CISE apresenta um conjunto de equipamentos didácticos e científicos focalizados para a descoberta da serra da Estrela. Unidade única em toda a região, nesta infra-estrutura do Município de Seia é possível alicerçar o conhecimento empírico oferecido pela descoberta natural da serra, com as bases científicas e fenómenos que a natureza não revela ao olho humano. Durante esta semana anterior decorreu a 14.ª edição do único festival de cinema e vídeo de ambiente que existe em Portugal, o CINE´ECO que se afirma a cada ano que passa como um dos mais valiosos “patrimónios culturais e ambientais” da cidade de Seia e da região da Serra da Estrela. Também a parte religiosa não foi esquecida e no dia 12 de Outubro, aconteceu a cerimónia de inauguração da nova Igreja de Seia. O novo templo, construído num terreno cedido pelo Município de Seia, é dedicado a Nossa Senhora do Rosário e foi orçado em 1,3 milhões de euros. A nova Igreja conta com 580 lugares e encontra-se instalada na rua D. Henrique Manuel Vilhena. Ao nível desportivo, a Cidade de Seia tinha perdido há mais de dois anos uma das suas modalidades com mais tradições: o futebol. Ironicamente isso aconteceu no momento em que o União tinha garantido a presença na 3.ª divisão. Agora, surge o Seia Futebol Clube. A partir dos distritais, e com a experiência vivida, três dirigentes procuram dar à localidade um novo motivo de orgulho desportivo. Recentemente começaram a funcionar nas novas instalações do Hospital N.ª Sr.ª D´Assunção os serviços de urgência e RX. Este novo edificado de que tanto se falou e que se vinha a exigir para a região é sem dúvidas uma melhoria bastante considerável para a saúde de Seia. Actualmente ainda decorrem algumas obras e em 2009 o apoio à saúde estará concerteza a funcionar a 100% no novo edifício. Por último devo também aqui referir a maior visibilidade que as Freguesias têm hoje na internet. Tirando meia dúzia que teimam em resistir à mudança e em não acompanhar a globalização, devo dizer que cerca de 75% das freguesias do Concelho de Seia já têm um sítio na internet onde vão divulgando as suas tradições, os seus saberes e outros pontos de interesse o que não deixa de ser um factor relevante atendendo a que em finais de 2007 este número se situava nos 30%. Com isto ganham as Freguesias e ganha obviamente o Concelho. Relembro que pela primeira vez foram feitas entrevistas ao longo de 2008 a cidadãos que residem nas freguesias do concelho onde cada um pôde dizer abertamente quais os problemas e as virtudes existentes nas suas terras, dando assim informação a quem de direito através da internet e eu sei que todas as entrevistas foram lidas. Para 2009 voltarei a repetir o mesmo só que com uma diferença, vou voltar a pegar nas entrevistas de 2008 e vou saber o que mudou passado um ano e aí sim poderemos fazer a avaliação mais rigorosa do impacto das mesmas.
Para o fim deixo a parte pior. Escolhi 2 aspectos negativos.
O modelo da FIAGRIS está desactualizado. Este é um dado a que ninguém pode dizer o contrário. Há que repensar um novo modelo desta feira que é a principal da região e que já merece uma nova estratégia talvez mais virada para o turismo e para as Freguesias. O outro ponto negativo que não poderia deixar de referir é o aumento do desemprego na região. A BEIRALÃ, ex.Fisel, está por um fio. Sucedem-se os despedimentos e já no final deste ano encerrou mais uma fábrica em St.ª Marinha que deixou no desemprego cerca de 70 trabalhadores. Ao nível de criação de postos de emprego infelizmente temo que não irá ser fácil no próximo ano até porque Seia é cada vez mais uma região de comércio e serviços. Rezemos para que a ARA continue em boa forma...
A todos desejo um excelente ano de 2009.

4 comentários:

João Carreira disse...

Caro Luís Silva,

Gostei muito desta análise, tentando abranger o melhor e o pior, da melhor forma possível.

O ano que aí vem é de incerteza.Mas todos os dias são assim. Não podemos contar que tudo vá correr bem, embora possamos ser optimistas por natureza. Vêm aí eleições e acabará uma época política em Seia, mesmo que o partido mais votado volte a ser o mesmo. Uma época em que muito mudou em Seia, basta lembrar os museus criados e o crescimento cultural de Seia como cidade. Infelizmente, continuam as mesmas fragilidades, a fuga do interior, o fecho de empresas e o terrível envenhecimento da população.
Por estes dias fiquei a saber do regresso da presença da GNR e os problemas da Beiralã. O futuro é sempre incerto, e um dos ditados portugueses mais antigos diz que "os homens conhecem-se quando o vento bate forte, uns abrigam-se e outros constroiem moínhos". Eu ainda acredito que a gente do nosso concelho e do nosso distrito é do tipo de gente que controie moínhos...

Votos de uma Excelente passagem de ano e de um Óptimo 2009, para si e para todos.

Com Estima e Admiração,

João

P.S. - Perdoe só agora ter reparado na fotografia da fogueira, aqui por baixo, e muito obrigado pela atenção e simpatia.

João Carreira disse...

Ainda PS...Onde escrevi "constroie" deverá ler "constroi". Teclas sensíveis...

João

LS disse...

Caro João isso dos moinhos tem muito que se lhe diga:)Bom ano...

Anónimo disse...

é incrivel como ninguém comenta esta análise. este facto é revelador da baixa taxa de massa critica existente no concelho. infelizmente quando se trata de comentar temas sérios as pessoas acanham-se talvez para não ferirem os seus futuros "chefes" ou então com medo da avaliação de desempenho.Um abraço para ti luis e continua a bombar com a verdade.
A. Pacheco