28/06/2010

1.ª ENTREVISTA. Manuel Costa Dias dá-nos a sua opinião sobre a Freguesia de VIDE

Iniciamos aqui hoje as entrevistas pelas Freguesias do Concelho de Seia. Mais relevante que o aspecto político interessa aqui perceber o aspecto social e cultural e compreender o modo como os cidadãos "não politicos" veêm o passado, o presente e o futuro das terras onde vivem. Temos a certeza que este género de auscultação dos "modus vivendi" dos cidadãos são um enorme contributo para a compreensão do nosso Concelho. Serviço Público? Se isto não o for então o que será? Começamos então estas entrevistas com a Freguesia de Vide na "voz" e no entendimento de Manuel Dias autor do site http://portalbeiras.com/

Caso entendam contribuir com alguma opinião deverão fazê-lo através do sistema de comentários aqui do blogue ou então questionar directamente o entrevistado através do seu e´mail pessoal: mcostadias@gmail.com

LS – Quantos habitantes residentes tem a sua Freguesia? Em média quantos baptizados são realizados por ano na sua Freguesia?
MD: Não lhe sei responder com exactidão o número de residentes na freguesia, mas o que eu posso dizer é que estou a viver cá há oito anos e a população na freguesia, diminuiu sem margem de erro, cerca de 20 a 30 por cento, a população está velha e não se vêem perspectivas para um aumento da população. Quanto ao número de Baptizados, como deve calcular não foram muitos mas não sei ao certo quantos foram
LS – Quais as entidades e empresas empregadoras na sua Freguesia?
MD:
Apesar de que poderiam existir mais se não fossem algumas entidades com bastante influência na freguesia e que querem esta localidade presa ao passado, existem algumas empresas da construção civil, o Lar de Vide, a Casa do Povo de Vide, e a Junta de Freguesia, entre elas empregam uma pequena parte dos residentes nesta localidade, pelo que os restantes, vivem de subsídios ou deslocam-se para fora da freguesia.
LS – A sua Freguesia ainda tem escola primária? Se sim, e se acha que vai fechar portas brevemente que prejuízos poderá trazer à sua localidade? Se já não tem, ainda se recorda de funcionar noutros tempos? Havia muitos alunos?
MD: Infelizmente a Escola Primária situada na Sede de Freguesia é uma das que estão em risco de fechar, só não entendo é porque dizem que as escolas dão prejuízo e pagam quantias astronómicas a táxis para transportar as crianças, mais palavras para quê? Os lucros chorudos não se compadecem de quem sofre.
LS – A sua Freguesia tem saneamento básico? Se não, alguma vez foi prometido ter? Quando?
MD: saneamento Básico só na sede de freguesia, as restantes anexas, estão há quatro anos á espera das promessas feitas pelo anterior Presidente da Câmara Eduardo Brito que se concretizem, pelo que, espero que o actual presidente prometa menos e faça mais.
LS – A sua Freguesia tem extensão do Centro de Saúde? E farmácia? Se não, onde se dirigem os habitantes para as devidas consultas e respectiva compra dos medicamentos?
MD: Felizmente temos Centro de Saúde e Farmácia, mas por si só não é o suficiente, apesar de existir um médico de quinze em quinze dias na Casa do Povo, assim como no Lar de Idosos um enfermeiro e médico penso que uma vez por semana, mas estas instituições e a Junta de Freguesia continuam de costas voltadas, deveriam unir-se de maneira a darem mais apoio aos idosos da freguesia, para dar um exemplo, já houve quem tivesse que se deslocar a Seia para levar uma simples injecção por não haver um enfermeiro para a dar cá na freguesia, o apoio aos idosos não fez parte do programa eleitoral de nenhum dos candidatos á Junta de Freguesia, o que foi uma pena.
LS – Ao nível de transportes públicos. Quais os horários dos transportes públicos na sua Freguesia? Se tiverem, os mesmos servem os interesses da população?
MD: Em relação aos transportes públicos, o único reparo e que a meu ver é um escândalo, é que temos aqui todos os dias transporte ida e volta para Coimbra, um distrito que não é o nosso, e para o nosso distrito, Guarda, nada, quem quer ir ao nosso distrito e que são bastantes vezes, quem não tem transporte próprio, terá que gastar grande parte da reforma para pagar um táxi.
Quem é que pode viver nestas condições.
LS – Do ponto de vista turístico. O que nos aconselha a visitar na sua Freguesia e porquê?
MD: Depois dos grandes incêndios que destruíram por completo toda a paisagem desta freguesia onde existiam locais de uma beleza incomparável, infelizmente pouco nos resta, mas existe um local que eu aconselho a visitar que é a zona do Poço da Broca, na Barriosa, não só pelas suas cascatas mas também um óptimo local para tomar banho.
LS – No caso dos turistas quererem fazer uma refeição aquando da visita à sua Freguesia, têm onde comer?
MD: Não existem muitas opções na área da gastronomia, existe o Restaurante Panorâmico, na Ribeira, está aberto diariamente, e o Restaurante Guarda Rios na Barriosa, junto á cascata do Poço da Broca.
LS – Existe alguma habitação de turismo rural na sua Freguesia onde os turistas possam ficar? Se sim qual? Se não, acha que era um investimento a fazer?
MD: Efectivamente esse é um dos pontos que também afasta os turistas, não existem alojamentos capazes de cativarem os turistas, existem alguns quartos no restaurante Panorâmico, na Ribeira e a Casa do Povo de Vide disponibiliza três quartos, que a meu ver são de boa qualidade, penso que os alojamentos e a gastronomia rural seriam uma boa aposta no desenvolvimento desta localidade.
LS – Quais as Festividades mais importantes na sua Freguesia e em que altura se realizam?
MD: As festas nesta localidade são o ponto alto que destaca neste local, nomeadamente as da Barriosa, Frádigas, Gondufo, Cide Balocas e Muro, a festa da Barriosa e Frádigas são sem sombra de duvida as que atraem mais gente a este local, talvez seja essa razão de estar a ser alvo de descriminação por parte de pessoas ligadas á igreja, este ano apesar de todos os esforços feitos no sentido de a Igreja autorizar a missa no dia da festa isso ainda não foi possível, pelo que as festas são em Agosto e ainda não foi autorizada a celebração desse acto católico, espero que o responsável por estes actos (Sr. Padre Martinho de São Romão) reconsidere e autorize as missas, porque não sei como vão reagir as populações destas localidades ao tirarem-lhes um dos actos principais das suas festas que se realizam há muitos anos.
LS – Que investimentos e melhoramentos têm sido feitos na sua Freguesia?
MD: Eu direi que muito poucos ou nenhum. Eu conheço esta localidade há trinta anos, desde essa altura esta localidade nada evoluiu, culpa… bem a culpa a meu ver são os nossos governantes que não criaram as condições necessárias para que esse desenvolvimento se concretizasse, eu diria que a Freguesia de Vide ficou parada no tempo.
LS – Do ponto de vista social, quais os principais problemas que regista?
MD: A deslocação dos idosos dos seus locais de residência até ao local onde possam satisfazer as suas necessidades do dia a dia, haverá muitas mais mas penso que é um ponto a concretizar de imediato, porque o valor das suas míseras reformas mal dá para deixar na farmácia quanto mais para pagar a um táxi para a deslocação.
LS – Do ponto de vista social quais as respostas que a sua Freguesia tem para fazer face ao combate dos mesmos?
MD: O que a Freguesia tem para fazer não sei, mas a meu ver deveriam sentar-se a uma mesa (Junta de Freguesia, Casa do Povo e Lar da terceira Idade), conjugarem os seus esforços, de maneira a existir uma viatura na freguesia para transporte das pessoas sem meios para o fazer por si próprios, assim como também um enfermeiro/a, todos os dias de maneira a assistir todos os utentes da freguesia, penso que estas medidas estão ao alcance, é preciso é vontade para o fazer, é claro que há muitas mais necessidades mas estas duas medidas são fulcrais para o bem-estar destas pessoas esquecidas dos nossos governantes.
LS – O que faz mais falta neste momento na sua Freguesia? Porquê?
MD: Olhe, para além daquilo que mencionei anteriormente, não se justifica que em pleno século 21 as pessoas aqui da freguesia de Vide tenham que se deslocar 20 e tal kilómetros para poder levantar dinheiro, se eu precisar de levantar 20 ou 40 Euros gasto quase esse dinheiro em gasolina, pelo que deixo aqui um apelo a quem de direito o favor de nos porem aqui uma caixa de multibanco, não só para aqueles que vivem cá todo o ano, mas também faz muita falta para aqueles que nos vêem visitar.
LS – Sabe quem são os deputados eleitos pelo Distrito da Guarda para a Assembleia da República? Se sim, alguma vez algum deles visitou a sua Freguesia?
MD: Não sei, mas porque é que eles nos viriam visitar? Então se nem os nossos representantes nomeados para a Câmara e Assembleia Municipal e que estão aqui mesmo ao lado o fazem, a freguesia de Vide é um paraíso serrano, em que os nossos políticos só se lembram de nós para angariar votos para os por no poleiro, pelo que tenho a certeza que nas próximas eleições cá veremos a família politica com beijinhos e abraços.

3 comentários:

Anónimo disse...

Gostei da entrevista feita ao Sr. Presidente da Junta da freguesia de Vide. Só lamento é, um Presidente dizer que, não sabe quantos Habitantes tem a sua Freguesia!…

LS disse...

É só para informar que o Sr. Manuel não é o Presidente da Junta de Vide, nem ocupa nenhum cargo na referida Junta. É um cidadão que habita na Barriosa, daí a importância destas entrevistas que vão ao encontro dos cidadãos e não dos politicos. Esta é a genuinidade destas entrevistas e só assim podemos ficar a saber realmente quais são as verdadeiras necessidades das Freguesias.

Fradigascjm disse...

Parabéns ao Sr. Luis Silva, pelo blog e pelas perguntas pertinentes nesta entrevista.
Parabéns ao Amigo Manuel Dias, pelas
respostas no seu global.

ACRESCENTO que em Frádigas existem quartos para alugar