29/11/2005

Pode o médico ser considerado cúmplice nesta situação?

Aproveitando um post intitulado "A Bela Italiana" que li no blog Legumes salteados e porque de uma situação muito grave se trata, surgem-me algumas questões que considero pertinentes reflectir e partilhar. Todos sabemos que em qualquer profissão deve sempre guardar-se sigilo profissional cumprindo assim com a ética que está adjacente ao desempenho das profissões. Até aqui muito bem. Entretanto o caso que se trata faz-me reflectir sobre esta questão, nomeadamente e segundo se consta em Viseu, onde estive no Domingo à tarde, parece que o médico que a seguia sabia evidentemente de que a rapariga estava infectada com o virus HIV, nunca o tendo revelado sequer a quem de direito. Julgo eu que no minimo o deveria ter feito à Delegada de Saúde daquela região, o que também não sei se o fez. Partindo do principio que o médico não o fez, terá procedido em nome e salvaguarda da saúde pública? Não me parece. Parece-me sim, e, mesmo que se resguarde dizendo que o não fez respeitando assim a ética profissional da sua profissão, que pura e simplesmente foi cumplice e contribuiu para que a senhora continuasse a infectar pessoas deliberadamente. Este é um assunto no qual devemos meditar até e para acrescentar mais detalhes a este caso, porque "ela sabia há cinco anos que tinha contraído HIV e quis contagiar o maior número de homens possível. Leiam este impressionante artigo e divulguem-no."

2 comentários:

zandali disse...

olá... vim conferir o samba que o romeu indicou... muito legal!!

hum... ainda estou em dúvidas sobre a pergunta deste post... é complicado... existe a ética porfissional e tal... mas (como boa brasileira) sempre há um jeitinho...
encaminhar a paciente a um tratamento psicológico pra tirar a idéia fixa da cabeça dela... é... complicado, mas nada justifica o fato de deixar que mais pessoas pudessem ser contaminadas!!

abraços

Zecatelhado disse...

Eu penso que o médico o devia ter feito. Salvaguardou um em prejuízo de não sei quantos.

Pois cá está este teu amigo de regresso após um tempo bastante assoberbado com outros afazeres. Espero voltar ao "ritmo normal" outra vez.
Obrigado pelas tuas visitas no entretanto.
Aquele abração do
Zecatelhado