09/01/2006

Bébé de Viseu vai ser entregue aos avós

A coordenadora do Núcleo de Estudo da Criança de Risco do Hospital Pediátrico de Coimbra (HPC) defendeu, na última sexta-feira, a entrega da guarda da bebé de Viseu, vítima de maus-tratos, aos avós maternos.
Após a leitura do boletim clínico sobre o estado da menina, Jeni Canha precisou, em declarações aos jornalistas, que "os avós maternos pediram ajuda a toda a gente e tudo falhou". Segundo a sua apreciação, são as pessoas mais indicadas para acolher a bebé.
Isto por vezes de se pedir ajuda a toda a gente, não é bem assim. Antes de entregarem a bébé aos avós, deve fazer-se um estudo ao nível da saúde, condições económicas, condições sociais, condições habitacionais e até ter em atenção a idade dos próprios avós.Imaginem se os avós tiverem 80 anos de idade. Será uma boa solução entregar a bébé aos avós?Atenção para não se cometerem mais erros. Sei de casos em que crianças foram entregues a avós que em tribunal tudo disseram que faziam em prol da defesa dos seus netos, mas o certo é que mais tarde se veio a verificar a incapacidade para os educarem correctamente, ou por falta de saúde, ou mesmo por falta de outras condições sociais. É preciso avaliar no terreno, saber junto dos vizinhos qual o modo de vida e hábitos sociais dos avós e não apenas se limitarem a arranjar uma solução à força para a entrega da criança. Devemos valorizar sempre o papel da família, mas por vezes essa mesma família pode não reunir as condições essenciais para uma boa protecção das crianças.
Exemplos que provam como por vezes os avós não reunem condições para uma boa protecção às crianças:
Uma avó com 80 anos de idade terá saúde e paciência para:
1 - mudar as fraldas 3/4 vezes ao dia à bébé?
2 - Aquecer o leitinho e dar-lhe o biberon 3/4 vezes ao dia?
3 - Andar com a criança nas consultas regulares com o pediatra?
4 - Terá condições económicas para a colocar numa creche?
5 - Terá paciência para passar noites acordada para dar carinhos, quando a criança chora?
Por muita boa vontade que os avós possam ter, já lhes falta o principal...A SAÚDE E A PACIÊNCIA

3 comentários:

dina disse...

este é um assunto que me anda a deixar muito nervosa (leia-se danada), concordo inteiramente que um bocadinho de bom senso faz muita falta, concordo que talvez seja uma boa opção ficar com os avós, mas é como dizes, será que eles têm condições, será que não se vão "matar" pela bébe e aí além de a bébe ficar com a vida estragada eles também? será que quando os pais estiverem livres que nem passarinhos não vão ser pressionados para ficarem sem a bébe? tanta coisa que pode acontecer, que talvez possa ser resolvida com um pouquinho mais de bom sensao, uma coisa que a tal Comissão nem sonha o que é.

Anónimo disse...

quando a criança tiver 20 anos, quantos anos terão os "PAIS"? 100 anos. não haveria na família alguém responsável e mais novo? então seria preferivel dar a criança para adopção.

Luis Silva disse...

Adopção poderá ser uma das respostas possiveis...